O setor de Conservação e Restauro do Museu de Arte Sacra de São Paulo é responsável pela preservação, conservação e restauro de seu acervo exposto, bem como de sua reserva técnica.

CONSERVAÇÃO E RESTAURO

A conservação preventiva é um conjunto de providências tomadas diariamente em relação ao acervo, para manter sua integridade física e histórica, aumentando sua vida útil e diminuindo riscos de degradação.

A manutenção do acervo exposto do MAS é feita semanalmente por meio de monitoramento e higienização mecânica. Além disso, o controle de temperatura, umidade e iluminação são fundamentais para sua preservação. Eventualmente, um procedimento pode ser feito para cessar algum processo de degradação ativo, a fim de se evitar grande intervenção futura.

Em exposições temporárias e empréstimos provenientes de outras instituições e coleções particulares, é dado um suporte para salvaguarda e segurança das obras, como emissão de laudo técnico e conservação preventiva quando for o caso.

Restauro é um conjunto de procedimentos técnicos de intervenção realizados em uma obra de arte para reestruturar sua integridade. No entanto, é desejável que a conservação preventiva seja sempre prioridade em qualquer obra ou coleção.

Há casos em que o restauro se faz necessário, devendo-se levar em consideração: a técnica original de construção da obra, seu estado de conservação e o local onde ela se encontra. Ao se decidir por uma intervenção, esta deve observar a utilização de técnicas modernas, mínima intervenção possível com o máximo de benefício à obra, documentação e retratabilidade, além do resgate das características estética e histórica da obra em questão.

RESERVA TÉCNICA

A reserva técnica do MAS conta com um acervo variado e é organizada de acordo com sua tipologia. É um local de acesso restrito, segurança máxima e monitoramento 24h. O controle de temperatura, umidade e iluminação é feito diariamente e a higienização mecânica é periódica, por setor, bem como os procedimentos de conservação preventiva.

O acervo está distribuído considerando sua tipologia e forma de preservação. Todas as peças encontram-se mapeadas, etiquetadas, catalogadas, acondicionadas e salvaguardadas de acordo com as normas internacionais indicadas pelos organismos de preservação.

As obras são acondicionadas observando-se tipo, material, técnica, tamanho etc. Embalagens sob medida, personalizadas e confeccionadas em material neutro são recursos utilizados para que fiquem bem acomodadas e fora de risco. Além disso, são respeitados os espaços de armazenamento e circulação tanto de obras quanto de pessoas.

Tais medidas são fundamentais para o bom funcionamento de vários setores que lidam direta ou indiretamente com o acervo, como: catalogação, mapeamento, pesquisa curatorial, documentação e montagem de exposições.

Flávia Andrea Siqueira Dias
Conservadora Restauradora

Compartilhar