Apresentação:
O curso aborda como temática a representação de Jesus e Maria, as imagens acheropitas da Antiguidade e demais paralelos no estudo de suas iconografias, com atividade prática de pintura orientada da imagem.

O prof. Romolo Picoli Roncehtti irá abordar a temática do rosto de Cristo que certamente é o mais conhecido no mundo. O que passa despercebido para a maioria das pessoas, é que esta imagem passou por um longo período de formação, e teve muitas influências ao longo de tempo.

O contexto histórico da vida de Cristo na Palestina do Primeiro século, não era favorável para as composições de retratos.  Durante sua vida, Cristo não teve sua imagem pintada por um artista, que poderia servir como modelo para as gerações seguintes. Veremos no curso que as primeiras representações de Cristo na arte cristã, tomaram como modelo imagens simbólicas, e não as características físicas ou realísticas de Cristo.

A profa. Silvana Borges irá apresentar a representação da Theotokos, termo que significa: “Mãe de Deus”, termo proclamado em 431 no concílio de Éfeso, e lembra que a criança que Maria carregou em seu seio e colocou no mundo era “verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus”, que seu filho é também o filho de Deus. Como há mil e uma maneiras únicas e insubstituíveis de encarnar a verdade, a vida, o amor, há mil e uma maneiras de representar a Theotokos.

A tradição ortodoxa distingue quatro matrizes iconográficas fundamentais: a que trona, a que ora, a que mostra o caminho e a Misericordiosa. Com base nesses tipos até duzentas e trinta variantes já foram repertoriadas. Sobre a imagem de Maria, a tradição menciona que São Lucas foi quem primeiro pintou a Virgem. Porém veremos no curso que o verdadeiro ícone de Maria não é o naturalista ou renascentista em uma bela representação, mas aquele que manifesta o seu mistério.

Objetivo: Apresentar o sentido da beleza na arte sacra cristã e o resgate proposto pelo Concílio Vaticano II da arte sacra preservada na tradição da Igreja do Oriente como sinal de uma presença.

Conteúdos abordados:
A influência que o mundo judaico, a mitologia pagã e a arte oficial do Império Romano, exerceram sobre a formação da imagem de Cristo.

Como o caráter epifânico da Theotokos se modula através de uma tipologia que não se estabelece pelos traços do seu perfil, mas pelos diferentes tipos de sua representação.

Atividade prática: pintura aquarela na construção de um modelo de imagem, a partir da pintura de fundo, será discutido e exemplificado a importância da luz e contornos mais escuros nos traços principais que compõem a fisionomia do Rosto de Cristo ou da Theotokós. Nesse processo serão explicados os detalhes simbólicos da imagem.

Programa do curso:

Aula 01 – 26/10/2024 (sábado)
Aula teórica (10h às 12h) – A formação da imagem de Cristo.
Aula prática: (13 às 17h) – Primeiro exercício com execução de pintura orientada.

Aula 02 – 27/10/2024 (domingo)
Aula teórica: (10h às 12h) – A formação da imagem da Mãe de Deus.
Aula prática: (13h às 17h) – Segundo exercício com execução de pintura orientada.

Material incluído no valor do curso: Cada aluno receberá um kit individual de materiais de modo a lhe estimular a realização de trabalhos futuros. Material de uso individual: conjunto de papéis artísticos para pintura, paleta descartável, 01 pincel, um kit de seis cores de tinta aquarela. Material de uso comum: acessórios artísticos para demonstração e produtos auxiliares para a prática da atividade.

Sugerimos aos participantes trazerem os pinceis de sua preferência para a atividade, recomenda-se trazer um pincel redondo fino:  modelo similar ao Condor código 425 número 0 (cerda sintética). O uso de avental é aconselhável, mas não obrigatório.

Pré-requisito: Atividade destinada ao público interessado em geral, não é necessária a experiência em pintura.

Período: 26 e 27 de outubro de 2024 (sábado e domingo)
Horário: das 10 às 17h ( intervalo para o almoço )
Carga horária: 14 h
Valor: R$ 390,00 à vista ou R$ 410,00 em duas vezes ( material incluso )
Vagas limitadas: 25
Inscriçõesmfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 3322-5393
Whatsapp: +55 (11) 99466-6662
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso):  Rua Jorge Miranda, 43

DOCENTES
Romolo Picoli Ronchetti nasceu em Colatina (ES) e transferiu-se para São Paulo (SP) em 2001, quando ingressou no Seminário da Diocese de Santo Amaro, onde se graduou em Filosofia e estudou Teologia (sem concluir). Em 2003 frequentou o Curso de Iconografia Oriental na Eparquia Greco-Melquita Nossa Senhora do Paraíso onde teve o primeiro contato com a produção da arte sacra cristã. Em 2010 graduou-se em Filosofia pela Universidade São Judas Tadeu (SP). Desde 2004 realiza pesquisas na área de Arte, Teologia, Liturgia e Espaço Litúrgico no âmbito da arquitetura e arte sacra no desenvolvimento de projetos e obras de arte para espaços litúrgicos no Brasil e no exterior. Em 2019 colaborou com a publicação do livro “A arte como expressão da vida litúrgica” do Pe. Marko Ivan Rupnik — Edições CNBB, realizando a tradução do italiano. Em 2022 concluiu a Pós-graduação em Espaço Litúrgico — arquitetura e arte sacra, pela UNISAL em São Paulo. Suas obras adornam o novo Santuário de Santa Rita em Cássia, um dos maiores do Brasil e ilustram as publicações da revista Vida Pastoral (editora Paulus), sendo que seu mais recente projeto editorial está na ilustração para a capa do livro “Formação Litúrgica” de Romano Guardini, um dos maiores teólogos do século XX traduzido pela primeira vez para o português. A atuação de seu trabalho foca a realização de estudos para a iconografia de igrejas com projetos em São Paulo, Paraná, Mato Grosso, Pará e Espírito Santo.

Silvana Borges é mestre em Arquitetura, Urbanismo e Design pelo Centro Universitário Belas Artes em São Paulo; graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, especialista em Conservação e Restauro de Arte Sacra, Arquitetura e Pintura de Cavalete, atuando profissionalmente na preservação do patrimônio artístico e cultural com foco na imaginária sacra (madeira, gesso e terracota) e restauro arquitetônico de pinturas murais. Destaca-se a sua atuação no processo de conservação e restauração no Museu Paulista (Ipiranga/SP) dos 18 marouflages que contornam a sanca no alto da escadaria principal do edifício monumento. Docente do Museu de Arte Sacra de São Paulo desde 2014 ministrando cursos teórico-práticos com estudos iconográficos e das metodologias de pintura tradicionais a base de temperas (caseína, ovo, cola animal, etc). Integra o grupo de pesquisa de Estética & Arte Sacra (FSB-SP). Profissional associada ao CAU, ICOM, ANTECIPA e CEIB. Traçando um panorama de sua produção artística desde 1988 até os dias atuais, pode-se perceber claramente a evolução e alterações de técnica de seu trabalho e das diferentes interpretações dadas sobre variados temas com obras catalogadas e várias premiações, inclusive pela sua atuação literária com o recente “Prêmio 2020 Diamonds of Arts” na Áustria e premiação na “91ª Feira do Livro de Lisboa” em 2021, é autora de contos infantis publicados em coletâneas com lançamento no Brasil e exterior em traduções para o inglês, espanhol, francês e alemão.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8855905584185083

Bibliografi
BELTING, Hans. Semelhança e presença: a história da imagem antes da era da arte. Rio de Janeiro: Ars Urbe, 2010.
CORMACK, Robin – Byzantine Art. Oxford, 2000.
DONADEO, Irmã Maria. Os Ícones, Imagens do Invisível. São Paulo: Paulinas, 1997.
DUARTE, Adélio Damasceno. Ícones: E o Verbo se fez rosto e armou sua tenda entre nós. Belo Horizonte: FUMARC, 2003;
FLORIÊNSKI, Pável – A perspectiva inversa. Ed.34, SP, 2012.
GHARIB, Georges. Os ícones de Cristo: História e culto. São Paulo: Paulus, 1997.
JAEGER, Clarice – Arte Sacra, reflexões e imagens. PadreReus, Porto Alegre, 2010.
LELOUP, Jean-Yves – O Ícone, uma escola do olhar. Unesp, SP, 2006.
PARRAVICINI, Giovanna – A vida de Maria em ícones. Loyola, SP, 2008
MUZJ, Maria Giovanna. Visione e presenza: iconografia e teofania nel pensiero de André Grabar.  Milano: Edizioni La casa di Matriona, 1995.
SENDLER, Egon. L’icona: imagine dell’invisibile. Milano: Edizioni San Paolo, 1985.
TREVISAN, Armindo. O rosto de Cristo: a formação do imaginário e da arte cristã.  Porto Alegre: AGE Editora, 2003.
Compartilhar