Primeira edição em homenagem a José Antônio da Silva

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo exibe a primeira edição do Salão Paulista de Arte Naïf, realizado pela Totem, Barthô Naïf e Cia Arte Cultura, com aproximadamente 190 obras de artistas de 39 cidades do Estado de São Paulo. Entre os trabalhos podem ser admiradas obras criadas em suportes diversos, tais como pinturas, colagens, desenhos, aquarelas, gravuras, esculturas, entalhes, bordados, costuras e modelagens.

A curadora Marinilda Boulay define: “O Salão Paulista de Arte Naïf busca mapear, registrar, experimentar, valorizar e difundir a arte naïf produzida no Estado, onde cada criador lança seu olhar sobre a terra paulista de maneira livre e independente, dando vazão às suas percepções de mundo, com suas formas e cores peculiares, ajudando a pensar e a erguer um amanhã, como é próprio das produções naïfs, pleno de otimismo, tão necessário para se enfrentar o momento pandêmico que vivemos”. Os curadores Odécio Visintin Rossafa Garcia e Paco de Assis também assinam o evento.

Tendo como proposta a fomentação e divulgação da arte naïf paulista, por meio de um espaço de valorização, difusão e circulação das obras e dos artistas desta estética, a maioria autodidatas, o Salão Paulista de Arte Naïf homenageia José Antônio da Silva, um dos ícones da história da arte naïf brasileira. Entre tantas, será apresentada uma de suas Vias Sacras, pertencente ao acervo do MAS/SP, produzida em 1967 e composta por 15 pinturas. Como homenagem póstuma, exibe também obras de artistas como Agostinho, Aparecida Azêdo, Cássio M’Boy, Djanira da Motta e Silva, Iracema Arditi, Maria Auxiliadora, Ranchinho, Raquel Trindade e Thiê.

Esta primeira edição estabelece um diálogo conceitual e material com as obras do acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo, apresentando – além da Via Sacra do Silva – 28 esculturas em Nó de Pinho do Vale do Paraíba (séc. XIX), esculpidas, pelos africanos e descendentes e 10 “Paulistinhas”, de Dito Pituba (séc. XIX), que pavimentam o surgimento de uma arte naïf paulista.

BAIXAR EM PDF


Prêmios

Premio Aquisição: Jair Lemos (Mirassol, SP) – “Tributo a Carolina de Jesus”; Célia Santiago (Embu das Artes, SP), – “A Folia vai passando com prazer e alegria”; e José Carlos Monteiro (São Luiz do Paraitinga, SP) – “Procissão de Corpus Christi”.

Premio Exposição: Waldecy de Deus (Carapicuíba, SP) e Alice Masiero (Morungaba, SP), (premiadas com mostras individuais a serem realizadas em São Paulo, SP, e Socorro, SP, pelo conjunto da obra).

A Comissão Artística responsável pela seleção dos artistas foi formada por Beatriz Augusta Corrêa da Cruz – museóloga do Museu de Arte Sacra de São Paulo, Oscar D’Ambrosio – crítico de arte e Romildo Sant’Anna – professor de História da Arte.

O Salão Paulista de Arte Naïf

O Salão Paulista de Arte Naïf contempla várias perspectivas e etapas.São duas exposições: Museu de Arte Sacra de São Paulo e Museu Municipal “Dr. João Baptista Gomes Ferraz”, em Socorro/SP. Será lançado também um curta-metragem e um livro catálogo, com versão digital.

“O Salão tem como objetivo gerar reflexões em torno das obras e colaborar para a formação de público para as artes visuais, e vem compor a narrativa visual da criatividade da arte naïf paulista, que é tão múltipla quanto o número de artistas nascidos ou residentes no Estado de São Paulo”, afirma a curadora Marinilda Boulay. “O Salão pretende colaborar para que os artistas naïfs façam arte como meio de empoderamento cultural e transformação social de um Brasil projetado no século XXI, num irreversível contexto de desenvolvimento e consolidação do universo digital, que inclui o setor das artes, exigindo adaptações e transformações em suas formas de produção, difusão e consumo”, diz o curador Odécio Visintin Rossafa Garcia. “Fazer arte em um país de dimensões continentais, com déficit educacional também enorme, não é tarefa fácil em tempos normais e, torna-se mais árdua, tendo em vista os diversos percalços gerados pela crise sanitária que o mundo vive. Por isso, esta edição força caminho por entre essas dificuldades como outras louváveis manifestações virtuais de vários segmentos artísticos, reforçando que a arte humaniza, consola e entrega mensagens”, completa o curador Paco de Assis.


COMPRE AQUI O SEU INGRESSO


Salão Paulista de Arte Naïf
Curadoria: Marinilda Boulay, Odécio Visintin Rossafa Garcia e Paco de Assis
Duração: de 26 de Junho à 29 de Agosto de 2021
Número de Obras: 190
Dimensões: Variadas
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo | MAS/
Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo
Horários: De terça a domingo, das 11h às 17h (entrada até as 16h30)
Telefone: (11) 3326-539

Ingressos: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (Meia) | Grátis aos sábados
Isenções:
– Crianças até sete anos de idade;
– Idosos (igual ou acima de 60 anos);
– Pessoas com deficiência e um acompanhante;
– Guias de Turismo credenciados pelo Ministério do Turismo (CADASTUR);
– Professores da Rede Pública de Ensino e Organizações Sociais e Instituições Públicas das áreas da Educação e Cultura e associados do Conselho Internacional de Museus (ICOM).
– Ordens Religiosas e Membros do Clero Diocesano: Bispos, Padres, Freiras e Seminaristas.

Siga o #MAS nas redes sociais @MuseuArteSacra.

Compartilhar