Newsletter

X
Digite seu email no campo abaixo e cadastre-se para receber nossas notícias.
Cadastrar

MAS SÃO PAULO

Secretaria da Cultura

Nossas Exposições

Recolhimento da Luz, Benedito Calixto (1853-1927), óleo sobre tela, séculos XIX/XX.

300 Anos de Devoção Popular


Duração:
21 setembro 2017 - 19 novembro 2017

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO PROMOVE EXPOSIÇÕES EM HOMENAGEM AOS 300 ANOS DE DEVOÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA


"300 Anos de Devoção Popular" conta, por meio de esculturas, ex-votos e uma linha do tempo, a história dos 3 séculos que se passaram desde a descoberta da imagem de Nossa Senhora Aparecida   

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, exibe "300 Anos de Devoção Popular", em parceria com o Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional de Aparecida e curadoria de Cesar Augusto Bustamante Maia e Fabio Magalhães. Composta por 137 obras - esculturas, ex-votos e objetos em diversos suportes -, a mostra homenageia os três séculos de devoção à Nossa Senhora Aparecida.

A cada ano, milhões de peregrinos caminham rumo ao Santuário Nacional de Aparecida. Recorrem à padroeira do Brasil para lhe falarem de suas angústias, aflições, ou para expressar suas alegrias, esperanças e agradecimentos por graças alcançadas. "A mãe de Jesus, a Senhora da Conceição Aparecida, continua a ser o 'grande sinal', colocado por Deus no céu e na terra para o consolo dos seus filhos e para a certeza de que o mal não terá a última palavra sobre a vida dos homens e sua história", comenta o Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo.

A mostra "300 Anos de Devoção Popular" traz como destaques duas esculturas da santa – uma com manto e outra sem - feitas por Francisco Ferreira – Chico Santeiro, o primeiro escultor a produzir uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, além de 10 ex-votos que são mantidos na Sala das Promessas, no Santuário. Uma linha do tempo conta toda a história desde 1717, quando a imagem foi encontrada, passando pela primeira capela no Porto Itaguaçu (1740), a doação da coroa de ouro pela Princesa Isabel (1884), a proclamação de Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil (1931), o início da construção da Basílica Nova (1955), até o jubileu de 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora, que é comemorado neste ano de 2017, entre outros acontecimentos no decorrer do tempo.

Nas palavras de José Carlos Marçal de Barros, Diretor Executivo do MAS/SP: "Com a colaboração, imprescindível, do Museu de Nossa Senhora Aparecida, o Museu de Arte Sacra de São Paulo apresenta uma mostra, de pouco mais de uma centenas delas que simbolizam a força da fé de nossa população naquela que, ao longo de 300 anos, conforta a alma deste povo devoto".


Sobre a descoberta da imagem de Nossa Senhora Aparecida
Em outubro de 1717, três humildes pescadores receberam a incumbência de buscar peixes para o Conde de Assumar, governador da capitania de São Paulo e das Minas Gerais. Depois de tanto navegar e sem êxito na pescaria, os três trabalhadores do povoado do Itaguaçu lançaram pela última vez as suas redes, quando notaram que uma delas pesava - para surpresa dos pescadores, surgia do fundo do rio um corpo de imagem, o qual foi recolhido com respeito e veneração. Em outro lançamento da rede, pescaram a cabeça. Corpo e cabeça da imagem da Imaculada Conceição, devotamente chamada Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Após o encontro da imagem, as redes se encheram de peixes e, com este milagre, se dá início aos 300 anos de devoção à Santa padroeira do Brasil. Nas palavras de Cesar Augusto Bustamante Maia: "Surgida das águas, símbolo do Batismo cristão, abraçou o Brasil de norte a sul, congregando milhões de devotos que peregrinam em busca de colo materno: consolo, graça, milagre e gratidão".

Exposição: “300 Anos de Devoção
Curadoria: Cesar Augusto Bustamante Maia e Fabio Magalhães
Abertura: 21 de setembro de 2017, quinta-feira, às 11h

Período: 22 de setembro a 19 de novembro de 2017
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)
Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas
Horário: de terça-feira a domingo, das 9 às 17h (bilheteria das 9 às 16h30)
Ingresso: R$ 6,00 (estudantes e idosos pagam meia); grátis aos sábados
Técnicas: Diversas
Número de obras: 137

Imprensa:
Museu de Arte Sacra de São Paulo

Silvia Balady – silvia@balady.com.br / Zeca Florentino – zeca@balady.com.br
Tel.: (11) 3814-3382

Arquidiocese de São Paulo
Rafael Alberto Alves - 11 3660-3712 - imprensa@arquidiocesedesaopaulo.org.br

Secretaria de Estado da Cultura
Gisele Turteltaub - Tel.: (11) 2627.8162 - gisele@sp.gov.br
Viviane Ferreira - Tel.: (11) 3339.8243 - viferreira@sp.gov.br

Cesar Augusto Bustamante Maia (Aparecida/SP, 1950)
Graduado em Pedagogia, residiu no Rio de Janeiro/RJ entre 1977 e 1990, onde fez cursos relacionados à museologia e paisagismo na Fazenda Santa Cruz, ministrado por Burle Marx. Exerceu o cargo de projetista de interiores e projetos de instalações civis durante 17 anos. Ao retornar à Aparecida/SP, por sua experiência em museologia, foi contratado para executar o primeiro tombamento do acervo do Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional. Criou em 1998 o Museu Redentorista no Memorial da Congregação do Santíssimo Redentor – Província de São Paulo. Em 2000, foi nomeado por Dom Aloísio Lorscheider, perito da Comissão dos Bens Culturais e Históricos da Arquidiocese de Aparecida. Em 2008 criou o Museu Municipal da cidade de Aparecida/SP, em homenagem ao Professor e Historiador José Luiz Pasin. No ano de 2013, retornou como curador do Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional.

Fabio Magalhães
Museólogo, curador e crítico de arte. É diretor artístico do MACS - Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba, foi diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo e do MASP. Foi curador das II e III Bienal do Mercosul e das I e II Bienal Brasileira de Design e de diversas outras mostras no Brasil e no exterior.

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO
Lqdi