Oficina de pesquisa e criação de desenho de personagens para animação englobando os seguintes temas: análise da técnica de animação a ser produzida; pesquisa relacionada às características físicas de personagens; transposição de características psicológicas de personagem a sua aparência física; pesquisa de expressões, gestual e posturas; turn around de personagens; line up de personagens diferentes e seu significado.

As oficinas integram as ações do projeto Aignangá, contemplado pelo edital de desenvolvimento de roteiros de longa-metragem da SPCine. Trata-se de um longa-metragem de animação, com fundo histórico, voltado para jovens e adolescentes que conta a trajetória de Andirá, filho de uma princesa tupiniquim e de um náufrago português.

Público alvo: Amantes de desenho de animação
Faixa etária: a partir de 8 anos
Vagas: 20 pessoas
Quando: 25/01 (Sábado) e 26/01 (Domingo)
Horário: 10h às 13h (Carga horária 3 horas)
Inscrições: Preencha o formulário disponível aqui
Materiais: Serão fornecidos pelo Museu. Caso o participante queira trazer seu próprio material de desenho será bem-vindo.

Minibiografia dos ministrantes:

Vini Wolf, Rio de Janeiro, 1984 – Formado em cinema na escola Darcy Ribeiro. Entre seus trabalhos mais recentes está a direção de arte e de animação do longa-metragem “Tito e o Pássaros”, selecionado no festival de Annecy 2018 e cotado na lista dos vinte filmes de animação indicado ao Oscar 2019. Trabalhou também no desenvolvimento dos personagens e direção de arte da série “Irmão do Jorel”, da Cartoon Network e das séries “Historietas Assombrada” e ” Tromba Trem”.

Rogério Nunes, São Paulo, 1970 – Diretor e produtor criativo audiovisual, animador independente. Desde 2008, experimenta com diferentes linguagens audiovisuais produzidas para diferentes gêneros, de animações infantis a Docu-Animações, documentários cuja base audiovisual mescla o filme de animação e live-action. Criador da série “Coração das Trevas”, da TV Cultura São Paulo, e dos curtas de documentário animado “Boi Fantasma”, ” 7 Voltas” e ” A Passageira”, juntas premiadas em mais de 50 festivais no Brasil e no mundo.

Compartilhar