A palestra pretende costurar as histórias, memórias e estéticas de mulheres negras brasileiras, através de um estudo iconográfico que traz para o centro da discussão, a indumentária afro-brasileira feminina, vista através de fotografias tiradas em sua maioria nos estúdios fotográficos situados nos grandes centros urbanos do Brasil dos oitocentos.

É através de fotografias realizadas na segunda metade do século XIX, com autoria de fotógrafos nativos e estrangeiros como Alberto Henschel, Marc Ferrez e Christiano Jr, que conseguimos resgatar, através de um exercício descolonizo de análise de imagens – as visualidades das vestimentas e adornos dos corpos negros femininos.

As modas e modos de vestir das mulheres negras crioulas – chamadas dessa forma, por serem negras nascidas no Brasil – possuem características específicas de composição do traje, que permanecem até os dias atuais, de maneira reinventada, como por exemplo, as saias rodadas, panos-da-costa e turbantes, que vemos tanto nas baianas de acarajé, nas mulheres de terreiros de religiões de matrizes africanas e nas irmandades afro-religiosas, como a Irmandade da Boa Morte, no Recôncavo Baiano – composta apenas por mulheres negras.

A palestra, traz um panorama das estéticas dessas mulheres, que ganham a posição de sujeito em uma sociedade contemporânea, que questiona cada vez mais o papel relegado à elas durante o período da escravidão, questionando também o contexto histórico, no qual tais imagens e visualidades foram compostas.

É principalmente através dos recortes de gênero, raça e religião – que traçamos esse estudo imagético para entender, o que chamamos aqui de “Imagens (de) crioulas: visualidades de mulheres negras nos Brasis oitocentistas”.


DOCENTE
Profª Hanayrá Negreiros
é mestra em Ciência da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, graduada em Moda pela Universidade Anhembi Morumbi. Tem como principais focos de estudo, as estéticas afro-brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, memórias coletivas e religiosidades.  Foi bolsista pelo CNPq, e é pesquisadora associada aos grupos de pesquisa Veredas: Imaginário Religioso Brasileiro, e CECAFRO – ambos pela PUC-SP. Atualmente é Assistente de Programação no Red Bull Station.


Data: 13 de julho de 2019 (sábado)
Horário: das 10hs às 11h30.
Atividade gratuita
Não é necessário fazer inscrição, por ordem de chegada, capacidade da sala 70 lugares.
Informações: (11) 5627.5393 – mfatima@museuartesacra.org.br
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
Estacionamento sujeito à lotação

Ao final da palestra será oferecido o certificado de participação.

Compartilhar