O Museu de Arte Sacra de São Paulo vem desenvolvendo projetos multiculturais relacionados ao imaginário e a arte do sagrado de várias partes do mundo. A parceria com o Centro Cultural Swami Vivekananda e com o Consulado Geral da Índia em São Paulo propiciou que seja apresentado o filme “Espetacular Índia”, dirigido por Benoy K. Behl, que faz um passeio por alguns dos Monastérios de Richen Zangpo, templos localizados em Ladak, Kinnaur, Lahaul-Spite, Nyarma e Leh, todos ornamentados por pinturas e esculturas de mestres medievais da região de Caxemira, verdadeiras joias da humanidade!

O curta-documental poderá ser acessado pelo público em geral, gratuitamente, a partir do dia 12 de Setembro, sábado, às 15h, por meio do site do museu e também do canal do YouTube da instituição.
Essa ação integra os eventos comemorativos dos 50 anos do MAS, completados em 29 de Junho de 2020.

A parceria surgiu do relacionamento que vem sendo realizado entre o Centro Cultural e o MAS desde 2019. A concretização de muitos projetos que ainda virão se inicia com a exibição desse curta-documental, sugerido pelo centro Cultural.


Sobre o Centro Cultural Swami Vivekananda
O Centro Cultural Swami Vivekananda é mantido pelo governo Indiano, fazendo parte do Consulado Geral da Índia em São Paulo que tem como interface o diálogo da diplomacia Indiana no Brasil. Entre suas ações, realiza-se diversas atividades artísticas e culturais, estreitando os laços de relacionamento entre os países.


Sobre o diretor
Benoy K. Behl
, é cineasta, fotógrafo e historiador da arte. Produziu ao longo dos últimos 40 anos 46 mil fotos de monumentos asiáticos e 132 documentários sobre a antiga pintura e escultura da Índia. Fez exposições em 54 países. Sua produção foi assunto de matéria especial na revista National Geographic e na BBC. Recentemente passou a documentar o yoga e as raízes do budismo tibetano. É palestrante em universidades e museus por todo o mundo.


Sinopse
“Espetacular Índia” nos transporta para uma viagem repleta de paisagens exuberantes pela região transimalaia e pelos monastérios de Rinchen Zagpo, herança da fé budista que resistem desde o século X e impressionam pela beleza. A arte transmite uma sensação de leveza e contentamento que carrega o ruído do mundo material para longe. As pinturas, esculturas e portais desses monastérios elevavam a alma a uma dimensão permeada pela alegria do divino.
As deidades – espécie de fonte do sagrado – materializadas pela arte nos apresentam um contexto novo; o da arte medieval Indiana.


Lançamento: 12 de Setembro no YouTube do Museu de Arte Sacra
Acesse e se inscreva no nosso canal

Compartilhar