Objetivo:
A escravidão e a religião estiveram intimamente ligadas ao projeto de colonização português. O fato do rei de Portugal ser considerado grão-mestre da Ordem de Cristo à época dos descobrimentos, e o financiamento desta poderosa instituição às navegações, são fatores relevantes no entendimento de que certos acordos estabeleceriam como premissa a difusão do catolicismo nas terras colonizadas. Ainda na África os negros entrariam em contato com o catolicismo, contudo foi na diáspora que os desdobramentos culturais ficariam mais evidentes, especialmente na América Portuguesa onde a população escrava constituiria uma nova modalidade religiosa, que mais tarde ficaria conhecida como “Catolicismo Afro-Brasileiro”. A presença marcante da população negra nas cidades brasileiras facilitaria a expansão da prática religiosa católica inculturada ocasionando, por outro lado, a união de outros agentes com o intuito da eliminação dos territórios negros, a expropriação do patrimônio das irmandades e o consequente enfraquecimento de suas práticas religiosas. Partindo da expressão criada pelo sociólogo francês Roger Bastide, a palestra tem como objetivo introduzir o Curso Catolicismo Afro-Brasileiro de 2019, investigando a presença dos negros na Igreja Católica do século XVI até os dias atuais.


A quem se destina:
O conteúdo da palestra gratuita, além de servir como introdução ao Curso Catolicismo Afro-Brasileiro, destina-se ao público em geral interessado na investigação da vida dos negros escravos e das práticas católicas particulares. Contudo a abordagem na interface história X arte também desperta interesse aos estudiosos de arte, historiadores, religiosos, pesquisadores, professores que pretendam desenvolver o tema em sala de aula, estudantes universitários ou profissionais que atuam em projetos de preservação cultural ou patrimonial para a população estudada.


Professor:
Fabricio Forganes Santos
é arquiteto e urbanista formado pela Universidade Católica de Santos. Já atuou como curador de arte sacra no Museu de Arte Sacra de Santos-SP e atualmente é professor no Museu de Arte Sacra de São Paulo. Desenvolve sua pesquisa de mestrado, tendo como objeto as Igrejas das Irmandades dos Homens Pretos, sendo membro do Projeto Barroco Cifrado FAPESP/USP e integrante da Comunidade do Rosário na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos da Penha de França, onde contribui na liturgia das celebrações inculturadas.


Data: 23 de março de 2019 (sábado)
Horário: 14h00
Atividade gratuita
Não é necessário fazer inscrição, por ordem de chegada, capacidade da sala 60 lugares.
Informações: (11) 5627.5393 – mfatima@museuartesacra.org.br
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
Estacionamento sujeito à lotação

Ao final da palestra será oferecido o certificado de participação.

 

 

Compartilhar