Maria Callas, nome artístico do mito mundial, a maior soprano de sua geração e uma das mais importantes do século XX.

Maria Callas

Maria Sophia Cecilia Anna Kalogeropoulos, filha de imigrantes gregos nos EUA, nasceu em 1923 em NY, aos 14 anos, voltou com a mãe para a Grécia onde recebeu bolsa de estudos na Real Academia de Música, estuda canto lírico em Atenas, com a renomada soprano espanhola Elvira de Hidalgo, aos 15, já estreia em “Cavalleria Rusticana” de Mascagni, aos 17 anos entra para a Companhia de Ópera da Grécia e no mesmo ano, estreia como profissional na Royal Ópera de Atenas com “Boccaccio”, no papel de “Beatrice”. Nessa época interpretou varias óperas como “Suor Angelica” e “Tosca de Puccini”.

Maria Callas

Recusa contrato com o Metropolitam, vai para a Itália e estreia na arena de Verona em 1947 com “La Gioconda” de Ponchielli. Inicia sua “versão Itália” onde cantou “Turandot” de Puccini, “Aida e Forza del Destino” de Verdi e em 1948, protagonizou “Norma” de Bellini.

Por sua voz de grande alcance e tipo vocal raríssimo de soprano absoluto, com interpretações de profunda analise psicológica, foi consagrada e aclamada como La Divina

Seu repertório ia de ópera-séria clássica, para óperas de bel canto de Donizetti, Bellini, Rossini, para obras de Verdi, Puccini e no início de carreira com dramas musicais de Wagner.

Extremamente comunicativa e expressiva, reacendeu esse gênero musical com a força de sua personalidade marcante . Nos anos 50 se apresentou em.óperas completas, nas maiores casas de espetáculo de do Mundo, Scala de Milão, Teatro Nacional São Carlos de Lisboa, Covent Garden de Londres.e Metropolitam de N.York.

No final dessa década, sua voz começou a dar sintomas de declínio

Maria Callas

Sua carreira passou a ser de recitais, noites de gala e breves sessões de gravação em estúdio.
– 1964 volta aos palcos numa produção do cineasta Zefirelli de Tosca, no Covent Garden, com Tito Gobbi.
– Julho de 1965, última apresentação em ópera completa.
– 1969, atuou no filme Medea de Pier Paolo Pasolini e gravousua última sessão em estúdio.
– 1971 e 1972, deu master classes por dois anos na Juilliard School de NY
– 1973, realizou concertos pela Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente, junto a Di Stefano e pela última vez em Novembro de 1974, em Sapporo, no Japão, quando ao cantar as duas últimas récitas de Norma em Paris, contra ordens médicas e sob exaustão, chegou a desmaiar.
– 16 de setembro de 1977 faleceu em Paris, aos 53 anos de um ataque cardíaco.
Suas cinzas foram jogadas no Mar Egeu.

Compartilhar