A culinária do Estado de São Paulo se desenvolveu, principalmente, no período de povoamento da capital, entre os séculos XVI e XVII. Os pratos trazem produtos facilmente encontrados na terra, como o milho, por exemplo.
Durante a colonização, os bandeirantes aderiram também aos hábitos dos índios, por motivos de sobrevivência. A farinha de mandioca já era parte da alimentação, por resistir a longas expedições.
Foi essa cozinha, amparada em variadas técnicas de conservação e nascida em sítios onde se praticava uma agricultura de subsistência, que sustentou as marchas para escravizar índios e ocupar as terras do Brasil central, triplicando o território reservado a Portugal pelo Tratado de Tordesilhas, de 1494. Os pilares dessa culinária eram o milho, o feijão e a abóbora – além das frutas do pomar e de duas espécies de animais trazidas pelos portugueses, o porco e a galinha.
Nossa palestra se propõe uma viagem por esta culinária caipira, da roça, que vive intensamente entre nós.


DOCENTE
Prof. Dr. Roberto Coelho Barreiro Filho
, possui graduação em Publicidade pela Fundação Armando Alvares Penteado (1983), mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993) e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999). Atualmente é professor e pesquisador da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea; experiência em teoria da mídia, teoria da cultura, teoria da comunicação. É professor em pós-graduação em história da arte, marketing e planejamento e desenvolvimento de produtos além de Arte Terapia com enfase em Yung. Na Pós-graduação do Senac é professor de branding, ferramentas de comunicação institucional, metodologia científica e marketing digital.


Data: 05 de outubro de 2019 (sábado)
Horário: 14h
Atividade gratuita
Não é necessário fazer inscrição, por ordem de chegada, capacidade da sala 70 lugares.
Informações: (11) 5627.5393 – mfatima@museuartesacra.org.br
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
Estacionamento sujeito à lotação
Ao final da palestra será oferecido o certificado de participação.

Compartilhar